Salada de Rúcula com Figos

IMG_7927tbvwm

Os figos andam por aí desde o princípio dos tempos, a figueira foi a primeira árvore descrita na Bíblia.

Originários da região do Mediterrâneo existem referências ao facto de serem conhecidos e utilizados desde a idade da pedra.

Nós cá por casa temos memória de gostar deles desde que nos conhecemos como gente e esperamos ansiosamente pelo tempo em que aparecem nas árvores.

Viver no Algarve, onde as figueiras crescem por todo o lado tem as suas vantagens. Ter amigos que têm amigos que têm figos é formidável e ter amigos que os têm no quintal é ainda melhor!

Os figos são por isso frequentes cá em casa e a Salada de Rúcula com Figos, uma das nossas favoritas, torna-se assídua o que deixa uma felicidade inebriante no ar…

 

RECEITA

 

base logo destaque1

  1. a mistura esfuziante de sabores
  2. a harmonia dada pelos figos
  3. o creme de vinagre balsâmico

 

Ingredientes: 

  • 100g de rúcula selvagem (1 embalagem)
  • 8 figos pequenos
  • 3 fatias de presunto
  • 110g de queijo curado
  • 12 azeitonas
  • sal q.b.
  • azeite q.b.
  • creme de vinagre balsâmico q.b.

nota: podem encontrar o Creme de Vinagre Balsâmico nos supermercados junto aos vinagres. A Paladin tem e também existe um da Monari Federzoni

IMG_7928tbvwm

Modo de Preparação: 

Numa travessa disponha a rúcula a cobrir o fundo. De seguida lave bem os figos e corte-os em quatro e espalhe-os sobre a rúcula.

Corte o queijo e as fatias de presunto em tiras e vá intercalando com os figos. Para terminar coloque as azeitonas.

Tempere com sal a gosto (nós utilizámos sal líquido), um fio de azeite e termine traçando a travessa de um lado ao outro com fios leves de creme de vinagre balsâmico.

Sirva esta fantástica salada como entrada!

IMG_7935tbvwm

 

TBVstrip

Batatas Cariladas

IMG_6454tbvwm

O caril não é um simples pó, ele é uma mistura de especiarias feito a partir de uma base de açafrão, cardamomo, coentros, gengibre, cominhos, cravinho, noz-moscada, pimenta e canela, mas uma mistura de caril pode levar até setenta plantas diferentes

Dependendo dos gostos e do quem o prepara o caril pode variar imenso. Cada família ou vendedor tem a sua própria mistura que difere na quantidade e diversidade dos ingredientes misturados.

Inicialmente o caril era usado apenas para temperar o arroz, hoje é utilizado para confeccionar inúmeras receitas. Cá em casa utilizamos muito o caril, adoramos o aroma e o sabor por isso é frequente fazermos pratos em que está presente.

As Batatas Cariladas, acompanham bem qualquer prato. Para nós são um acompanhamento de excelência e são a prova de que o caril pode dar um toque especial a um prato simples!

RECEITA

 base logo destaque1

  1. crocantes por fora e macias por dentro
  2. o sabor subtil a caril
  3. o aroma exótico

 

Ingredientes: 

  • 4 batatas médias
  • 1 c. (café) de caril
  • 4 pés de coentros
  • azeite q.b.
  • sal q.b.

 IMG_6451tbvwm

Modo de Preparação: 

Coloque uma panela ao lume com água e sal a gosto. Quando levantar fervura coloque as batatas cortadas ao meio no sentido do comprimento e depois de levantar fervura novamente deixe cozer durante 15 minutos. Faça o teste do palito para verificar se estão cozidas. Não deixe cozer muito as batatas para não se desfazerem.

Depois de cozidas retire-as da água e deixe-as escorrer bem e arrefecer um pouco. Depois corte as metades às cunhas no sentido da largura.

Numa frigideira coloque um fio de azeite a cobrir o fundo e ponha as batatas na frigideira sem estarem umas em cima das outras. Deixe tostar bem dos dois lados, mais ou menos 20 minutos.

Quando as batatas estiverem bem tostadas polvilhe-as com o caril e envolva bem até estarem todas amarelinhas.

Sirva numa travessa polvilhadas com coentros.

IMG_6447tbvwm

 

Testámos e gostámos!

IMG_6447tbvwmstrip

Salada de Couve

img_5178tbvwm

Quando pensamos em couve, normalmente não a imaginamos crua e em saladas. Porque será? Provavelmente porque sempre fomos ensinados que a couve se cozinhava para comer.

Vamos quebrar os hábitos instalados!

Esta é uma salada em que o ingrediente principal é a couve, e porque não experimentar?

Branca, coração, roxa, vão perceber que a couve é uma verdura tão boa para saladas como a alface, os agriões, a rúcula… e que a Salada de Couve é deliciosa.

 

RECEITA

 

base logo destaque1

  1. ideal para acompanhar fritos e panados
  2. óptima com carnes grelhadas

 

Ingredientes:

 Salada

  • 270g de couve branca
  • 90g de cenoura
  • 90g de grão cozido
  • 90g de milho cozido
  • 90g de arroz arroz
  • 90g de uvas brancas
  • 1 tomate
  • 1 fatia pequena de queijo feta

img_5184tbvwm

Molho

  • 4 c. (sopa) de iogurte grego
  • 4 c. (sopa) de vinagre de vinho branco
  • 1 c. (chá) de açúcar
  • 1 c. (café) de alho em pó
  • 1 c. (café) de caril
  • 1 c. (café) de mostarda em pó Colman’s
  • sal q. b.

img_5180tbvwm

Modo de Preparação:

Salada

Numa taça coloque a couve finamente cortada (tipo caldo verde), a cenoura ralada, o grão, o milho, o arroz e o tomate cortado em cubos pequenos. Reserve.

Deixe de lado o queijo e as uvas.

Molho

Misture numa tigela o iogurte grego, o vinagre, o açúcar o alho, o caril, a mostarda e o sal a gosto. Deixe descansar durante 20 minutos para agarrar bem todos os sabores.

Preparar a Salada 

Adicione o molho aos ingredientes que reservou e envolva muito bem de forma a que toda a salada fique coberta pelo molho.

Depois disponha a salada numa travessa coloque o queijo feta esfarelado por cima e termine enfeitando com as uvas.

img_5189tbvwm

Dica: este molho é um excelente Dip para batatas fritas.

 

Testámos e gostámos…!

img_5180tbvwmstrip

Arroz Árabe

img_5773tbvwm

Quando escolhemos um acompanhamento, tentamos que esteja de acordo com tudo o que vamos servir, queremos que tudo se conjugue de forma harmoniosa.

Quando escolhemos um acompanhamento para um prato de Natal, queremos alguma coisa que nos agrade muito e que seja bonita.

O Arroz Árabe reúne tudo o que nos deixa felizes.

É arroz e nós adoramos arroz,

É aromático,

É colorido, apelativo e cheio de surpresas

Enfim, o Arroz Árabe é o acompanhamento para este Natal!

 

RECEITA

 

base logo destaque1

  1. aromático
  2. o contraste de sabores

 

Ingredientes:

  • 400g de arroz basmati
  • 2 folhas de louro
  • 30g de passas
  • 30g de pinhões
  • 1 maçã fuji
  • 1 c. (sobremesa) de açafrão
  • azeite q.b.
  • sal q.b.
  • pimenta q.b.

img_5765tbvwm

Modo de Preparação:

Lave bem o arroz. Deve lavá-lo em 3 a 4 águas até que a água fique transparente e não esbranquiçada.

Na última água, já transparente, deixe ficar o arroz de molho 20 minutos para hidratar.

Depois ponha um tacho ao lume com bastante água, coloque sal a gosto e deixe levantar fervura. Então coloque o arroz e as folhas de louro e deixe cozinhar até estar “al dente” (ou seja cozido mas rijinho), mais ou menos 8 minutos.

Logo que termine de cozer, escorra o arroz e passe de imediato por água fria para parar a cozedura.

Uma vez que o arroz está cozido pode então preparar o Arroz Árabe. Numa frigideira, coloque um fio de azeite a cobrir o fundo e adicione a maçã (descascada, descaroçada e partida aos quadradinhos), as passas e os pinhões. Deixe refogar até a maçã começar a quebrar ligeiramente.

Nessa altura junte o arroz, o açafrão, a pimenta e envolva tudo muito bem até obter uma coloração uniforme. Rectifique o sal.

Termine colocando o arroz numa travessa.

img_5775tbvwm

Testámos e gostámos…!

img_5765tbvwmstrip 

 

Castanhas Cozidas com Funcho

img_5860tbvwm

Estamos no tempo delas e por isso não é de admirar ir na rua e ouvir: “Queeeeentes e boooooas…”

As castanhas estão aí por todo o lado, por isso vamos aproveitar e comer umas quantas!

Desta vez escolhemos fazê-las cozidas e ao contrário do que possam pensar As Castanhas Cozidas com Funcho são muito agradáveis.

O segredo é não as deixar cozer demais e comê-las com manteiga !

RECEITA

base logo destaque1

  1. o funcho substitui a tradicional erva doce e as castanhas ficam com um sabor mais anisado

 

Ingredientes:

  • 1kg de castanhas
  • 2 c. (sopa) de sementes de funcho
  • 2 c. (sopa) de açúcar
  • sal q.b.

img_5853tbvwm

Modo de Preparação:

Comece por lavar bem as castanhas e a seguir corte totalmente o lado oposto ao “bico” da castanha, isso vai prepará-las devidamente para ficarem bem cozidas e serem mais fáceis de descascar.

dupla-strip

De seguida coloque-as a cozer com o funcho. o açúcar e sal a gosto. Depois de levantar fervura conte exactamente 15 minutos e desligue o lume. Escorra-as e coloque-as na travessa embrulhadas num pano.

Deixe arrefecer um pouco para ser possível descascar, mas sirva as castanhas ainda mornas.

Uma boa jeropiga ou moscatel são uma boa companhia!

img_5850tbvwm

 Testámos e gostámos…!

img_5853tbvwmstrip

Curgete Recheada

img_5240tbvwm

Originária do Continente Americano, do Peru e do Sul dos Estados Unidos, a Curgete é um fruto de fácil digestão e possui poucas calorias.

Podemos prepará-la de mil maneiras diferentes, desde sopas, guisados, saladas…mas nós gostamos mesmo é de as rechear. Ficam suculentas e deliciosas, comemos tudo, sim tudo a casca também.

A Curgete Recheada é geralmente para nós uma fantástica refeição e simultâneamente saborosa. No entanto também as utilizamos para servir como entrada, ficam magníficas,  ou ainda como acompanhamento para carnes grelhadas.

RECEITA

 

 base logo destaque1

 

  1. pouco calórico e leve
  2. muito suculentas e saborosas
  3. um aspecto muito bonito

 

Ingredientes:

  • 1 curgete grande
  • 40g de chouriço
  • 12 azeitonas pretas
  • ½ pimento ( verde ou vermelho)
  • 1 cebola roxa pequena
  • 1 dente de alho
  • sal
  • pimenta preta
  • 3 c. sopa de azeite
  • 4 c.sopa de pão ralado
  • 100g de queijo feta ou mozzarella

nota: se for preparar as curgetes para servir como entrada, escolha-as pequenas para poder servir meia por pessoa

img_5233tbvwm

Modo de Preparação:

Parta a curgete ao meio e retire o máximo que poder do interior mas com cuidado para  não furar a casca. Pique a carne da curgete e coloque numa tigela.

img_5223tbvwm

Depois pique finamente o chouriço, as azeitonas, o pimento, a cebola e o alho. Adicione ao picado da curgete e tempere com sal, pimenta e azeite. Adicione o pão ralado e envolva tudo muito bem.

img_5227tbvwm

Coloque as duas metades da curgete num tabuleiro e recheie com o preparado aconchegando bem até aos cantos. Faça 3 a 4 furos na casca para a humidade sair.

nota: faça uns suportes com papel prata para as curgetes ficarem direitas

img_5230tbvwm

Coloque o queijo feta por cima e leve ao forno, pré-aquecido a 180ºC, durante 30 minutos.

No final do tempo retire do forno e sirva directamente nos pratos ou se forem pequenas, para servir como entrada para várias pessoas, coloque numa travessa. Antes de servir rale queijo parmesão sobre as curgetes.

img_5236tbvwm

img_5245tbvwm

 

Testámos e gostámos…!

 img_5245tbvwmstrip

 

Cenouras à Algarvia

IMG_4802tbvwm

A Cenoura cujo nome científico é Dacus carota, é um vegetal pertencente à família Apiaceae, tal como a salsa, aipo, entre outros.

É nativa da Ásia Central, mais especificamente do Afeganistão, onde a sua raiz apresentava uma coloração púrpura, branca ou amarela. No século XVII, a Holanda desenvolveu outra variedade de cenoura, de cor laranja, traduzindo-se naquela que consumimos actualmente.

A parte comestível da cenoura são as raízes. Estas caracterizam-se por serem tuberosas, sem ramificações, podendo ser longa, média ou curta, de formato cilíndrico ou cónico e com uma coloração geralmente alaranjada, mas que pode ser branca, amarela, vermelha e roxa.

A cenoura é considerada um alimento altamente nutritivo, devido à presença de vitaminas e minerais que actuam como antioxidantes no organismo.

A cenoura é bastante apreciada na culinária, podendo ser consumida crua ou cozida, em saladas, sumos ou como ingrediente de sopas, bolos, quiches, purés, entre outros.

Vamos usar e abusar das Cenouras, para já deixamos aqui uma receita muito simples, As Cenouras à Algarvia.

Um verdadeiro petisco, estas Cenouras servidas frias constituem uma agradável entrada para um almoço ou jantar. Também podem ser utilizadas como acompanhamento de carnes ou peixes grelhados.

 

RECEITA

 

base logo destaque1

  1. uma entrada típica do Algarve
  2. textura das cenouras
  3. o sabor agridoce das cenouras com o vinagre

 

IMG_4804tbvwm

Ingredientes:

  • 600g de cenouras
  • 1 c. (sopa) de açúcar
  • 1 c. (café) de cominhos em pó
  • sal q.b.

 

Tempero

  • 1 c. (café) de cominhos em pó
  • 1 c. (chá) de colorau
  • 1 dente de alho
  • orégãos q.b.
  • vinagre q.b.
  • azeite q.b.

 

IMG_4801tbvwm

Modo de Preparação:

Descasque as cenouras, lave-as, corte-as às rodelas enviesadas e leve-as a cozer em água temperada com o sal, o açúcar e os cominhos. Depois de colocar as cenouras na água a ferver espere que levantem fervura e conte 5 a 7 minutos, estão prontas.

De seguida escorra-as e passe por água fria para parar de imediato a cozedura.

Coloque as cenouras numa tigela e prepare o tempero. Numa taça coloque os cominhos, o colorau, o alho picado, os orégãos, o vinagre e o azeite. Mexa bem para a mistura ficar homogénea.

Deite o preparado sobre as cenouras e envolva-as com o mesmo para que apanhem bem o tempero. Prove e ajuste o vinagre a seu gosto tendo em consideração que não devem parecer pickles.

Depois podem colocar-se no frigorífico dentro de uma caixa fechada e estão prontas para servir fresquinhas quando é necessário. Aguentam 1 semana sem problemas.

IMG_4803tbvwm

 

Testámos e gostámos…!

IMG_4800tbvwmstrip