Nutrição – A Sardinha

IMG_7109tbvwm

A Sardinha é considerado um alimento bastante rico nutricionalmente. Apresenta na sua composição um elevado teor em proteína e de gordura polinsaturada e um baixo teor em hidratos de carbono. A sardinha é rica em ferro, cálcio, fósforo e magnésio e ainda em vitamina A, D e do complexo B, como a B12.

Sardinha1

Destacam-se alguns benefícios do consumo de sardinhas para a saúde:

  • Ação protetora contra o desenvolvimento doenças cardiovasculares, devido à presença de ácidos gordos ómega-3.
  • Redução e controlo dos níveis de colesterol total e triglicerídeos;
  • Melhoria da pressão arterial;
  • Mulheres em menopausa podem beneficiar do consumo de sardinha, devido à sua riqueza em vitamina D e de cálcio.

 

Nota: Deve ter atenção ao consumo exagerado deste alimento, pois apresenta na sua composição um composto, designado purina. Uma ingestão excessiva em purinas, pode levar a um aumento dos níveis de ácido úrico no sangue.

Para além disso, como podemos ver na tabela anterior, a sardinha quando consumida sob um processo de fritura, o valor calórico e teor de gordura aumentam consideravelmente quando comparados com outra forma de confecção.

 

Dicas  

Supermercado/ Casa:

  • Ao comprar sardinhas deve ter atenção:
    • Cheiro, este deve ser agradável e cheirar a maresia;
    • Olhos devem ser brilhantes e salientes e a córnea transparente;
    • Pele brilhante e com cor viva. Quando não se encontra fresca, a pele da sardinha fica baça e as escamas desprendem-se com facilidade;

  • Em casa pode conservar no frigorífico durante dois dias no máximo, pois deteriora-se facilmente. Uma opção mais duradoura, é congelar a sardinha, pois não vai afetar as suas características sensoriais.

 

1798367_10204917360117282_2705349250304587316_n

Por Cátia Carvalho da Silva

Nutricionista

IMG_7109tbvwmstrip

Batatas Cariladas

IMG_6454tbvwm

O caril não é um simples pó, ele é uma mistura de especiarias feito a partir de uma base de açafrão, cardamomo, coentros, gengibre, cominhos, cravinho, noz-moscada, pimenta e canela, mas uma mistura de caril pode levar até setenta plantas diferentes

Dependendo dos gostos e do quem o prepara o caril pode variar imenso. Cada família ou vendedor tem a sua própria mistura que difere na quantidade e diversidade dos ingredientes misturados.

Inicialmente o caril era usado apenas para temperar o arroz, hoje é utilizado para confeccionar inúmeras receitas. Cá em casa utilizamos muito o caril, adoramos o aroma e o sabor por isso é frequente fazermos pratos em que está presente.

As Batatas Cariladas, acompanham bem qualquer prato. Para nós são um acompanhamento de excelência e são a prova de que o caril pode dar um toque especial a um prato simples!

RECEITA

 base logo destaque1

  1. crocantes por fora e macias por dentro
  2. o sabor subtil a caril
  3. o aroma exótico

 

Ingredientes: 

  • 4 batatas médias
  • 1 c. (café) de caril
  • 4 pés de coentros
  • azeite q.b.
  • sal q.b.

 IMG_6451tbvwm

Modo de Preparação: 

Coloque uma panela ao lume com água e sal a gosto. Quando levantar fervura coloque as batatas cortadas ao meio no sentido do comprimento e depois de levantar fervura novamente deixe cozer durante 15 minutos. Faça o teste do palito para verificar se estão cozidas. Não deixe cozer muito as batatas para não se desfazerem.

Depois de cozidas retire-as da água e deixe-as escorrer bem e arrefecer um pouco. Depois corte as metades às cunhas no sentido da largura.

Numa frigideira coloque um fio de azeite a cobrir o fundo e ponha as batatas na frigideira sem estarem umas em cima das outras. Deixe tostar bem dos dois lados, mais ou menos 20 minutos.

Quando as batatas estiverem bem tostadas polvilhe-as com o caril e envolva bem até estarem todas amarelinhas.

Sirva numa travessa polvilhadas com coentros.

IMG_6447tbvwm

 

Testámos e gostámos!

IMG_6447tbvwmstrip

Nutrição – A Batata

IMG_6607tbvwm

A Batata apresenta na sua composição uma elevada percentagem de água. É constituída maioritariamente por hidratos de carbono complexos, nomeadamente, o amido. Destaca-se ainda por ser uma boa fonte de potássio e vitaminas C e B6. O seu teor em proteína, gorduras e fibras é diminuto.

Batata1

Vantagens e desvantagens do consumo de batata para a saúde:

  • Apresenta um bom valor nutricional quando é cozinhada a vapor ou no forno. Quando confecionada pelo processo de fritura o seu valor nutricional pode aumentar, devido à absorção de gordura.
  • No entanto, é importante referir que é na casca que há um maior teor em vitaminas, nomeadamente C e B6, desta forma, quando descascadas, ou quando submetidas a processos de cozedura, este teor vitamínico fica reduzido.

 

Dicas

Supermercado/ Casa:

  • No supermercado, deve evitar comprar batatas com manchas verdes, pois indica a presença de solanina, que provoca uma alteração no sabor da batata e risco de intoxicação.
  • Em casa, as batatas devem ser conservadas num local seco e arejado, protegendo-as da luz solar.

 

1798367_10204917360117282_2705349250304587316_n

Por Cátia Carvalho da Silva

Nutricionista

IMG_6607tbvwmstrip

 

Foie Gras com Cornichons em Pão Rustico

IMG_6425tbvwm

O Foie Gras é sem dúvida um dos maiores símbolos da gastronomia francesa.

Pode ser preparado de diversas formas, consumido quente ou frio, como acompanhamento de pratos de carne ou servido como entrada.

Odiado por uns, mas amado por outros o Foie Gras destaca-se pela sua textura incrível e pelo sabor marcante.

Normalmente o Foie Gras é comido como um vulgar patê, servido apenas barrado em pão branco ou em tostas. Nós gostamos de o comer à verdadeira maneira francesa e por isso apresentamos aqui o Foie Gras com Cornichons em Pão Rustico a combinação perfeita de três elementos.

Uma entrada simples mas absolutamente fantástica, deliciosa e saborosa que ninguém vai esquecer!

nota: esta receita é dedicada a Emmanuel Mollois, um incrível pasteleiro francês que já não está entre nós, que nos inspirou e continua a inspirar.

 

RECEITA

 

base logo destaque1

  1. uma entrada simples
  2. um sabor intenso e requintado

IMG_6428tbvwm

Ingredientes:

  • 1 pão rustico
  • 1 embalagem de foie gras (aprox. 150g)
  • 1 frasco de cornichons (pepinos em vinagre)

 

Notas:

O pão pode ser Martilongo, Alentejano, de Mafra ou outro de que goste mas aconselhamos vivamente um pão rústico

Nós utilizámos Foie Gras Selecção Continente mas podem usar outra marca que encontrem (o Jumbo costuma ter algumas) ou um patê de que gostem mesmo não sendo foie gras.

Os Cornichons (pepinos em vinagre) devem ser pequenos. A Ferbar, a Hengstenberg à venda no Continente são muito bons, nós utilizamos sempre uns da Freshona que se vendem no Lidl.

IMG_6427tbvwm

Modo de Preparação:

Corte o pão em tiras com mais ou menos 4,5cm x 2,5cm. Barre o pão com o foie gras e coloque por cima de cada tira de pão metade de um pepino.

Para servir disponha o pão numa pedra, numa tábua ou mesmo numa travessa e acompanhe com um bom vinho tinto.

IMG_6436tbvwm

 

Testámos e gostámos…!

IMG_6427tbvwmstrip

Feijoada à Nossa Maneira

img_6305tbvwm

Com origem no Norte de Portugal, a Feijoada é um dos pratos mais representativos da gastronomia portuguesa.

Existem diferentes versões deste prato, pode ser feito com feijão branco ou com feijão vermelho. Pode levar ou não outros vegetais, como tomate, couve ou cenouras. A carne pode ser de vaca ou de porco e os enchidos variam normalmente entre o chouriço, a morcela e farinheira.

Também se encontram feijoadas de peixe com ou sem mariscos, na realidade existem feijoadas para todos os gostos.

A Feijoada à Nossa Maneira é particular pela forma como cozinhamos o entrecosto que a acompanha. Na verdade o tempero do pimentão transfere da carne para a feijoada um gosto particular, único… e é diferente porque confeccionamos tudo à parte. Conseguimos todo o sabor fantástico da feijoada mas com menos gordura, mais “leve” mas igualmente deliciosa!

Nisto tudo o que nunca pode faltar é arroz branco para acompanhar.

RECEITA

base logo destaque1

  1. o molho grosso do feijão
  2. o entrecosto no forno com sabor a pimentão
  3. uma feijoada com menos gordura

 

Ingredientes:

Pasta de Pimentão

  • 1 pitada de sal
  • 1 dente de alho
  • 2 c. (sopa) de massa de pimentão

Carnes

  • 1kg de entrecosto
  • 1 chouriço
  • 1 farinheira
  • 1 morcela

Feijão

  • 1 lata feijão branco (845g)
  • 1 cebola
  • 3 cenouras
  • 3 folhas de louro
  • 1 cravinho
  • 1 caldo de carne
  • azeite q.b.
  • 1 c. (sopa) rasa de farinha maizena
  • 3 pés de salsa

img_6313tbvwm

Modo de Preparação:

Pasta de Pimentão

Num almofariz coloque uma pitada de sal e junte o alho. Esmague bem até obter uma pasta. Junte a massa de pimentão e misture até a pasta estar homogénea.

 

Carnes

Coza o entrecosto, a farinheira, a morcela e o chouriço numa panela com água abundante durante aproximadamente meia hora em lume brando.

Depois retire da panela os enchidos e o entrecosto. Reserve os enchidos e coloque o entrecosto num tabuleiro.

Pincele o entrecosto com metade da pasta de pimentão, apenas pela parte de cima. Coloque no forno, pré-aquecido a 180ºC, e deixe ficar durante 30 minutos. Depois abra o forno, vire o entrecosto e pincele-o com a pasta de pimentão que sobrou. Leve ao forno mais 30 minutos, no final desse tempo o entrecosto está no ponto.

 

Feijão

Num tacho faça um refogado com azeite, a cebola picada e as cenoura cortada aos cubos. Adicione o louro, o cravinho, o caldo de carne e deixe cozinhar até as cenouras estarem tenras. Depois junte metade do chouriço cozido cortado aos cubos e deixe ficar ao lume mais 5 minutos.

Adicione a lata do feijão com a própria água e mexa bem. O caldo vai ficar demasiado líquido, é então que deve juntar a maizena (previamente dissolvida em duas colheres de sopa de água) aos poucos mexendo sempre até o caldo fazer um molho cremoso. Nessa altura o feijão está pronto.

img_6310tbvwm

Com tudo preparado está na hora de servir a feijoada!

Coloque o feijão numa travessa, à volta ponha os enchidos cozidos, que reservou, todos cortados às rodelas. Para terminar disponha ao centro, por cima do feijão, o entrecosto cortado às tiras.

Enfeite com umas folhas de salsa e sirva acompanhado com arroz branco.

img_6324tbvwm

Testámos e gostámos…!

img_6313tbvwmstrip

 

 

Pataniscas de Couve

img_5275tbvwm

Pataniscas são de bacalhau. Errado, pataniscas são do que nós quisermos que elas sejam. Neste caso, são Pataniscas de Couve.

Uma receita muito agradável e muito simples de preparar.

Uma forma camuflada de pôr as crianças a comer vegetais e a habituarem-se a eles. Normalmente os miúdos não resistem às pataniscas de couve!

Podem ser servidas como aperitivo, como entrada com uma salada ou podem mesmo ser uma refeição rápida e leve. Seja como for as pataniscas de couve são, sem qualquer sombra de dúvida, um belo petisco!

 

RECEITA

 

base logo destaque1

  1. simples, fáceis e rápidas
  2. uma forma diferente de comer couve

 

Ingredientes:

  • 225g de couve
  • 100g de cenoura
  • 100g de cebola
  • 10 pés de salsa
  • 1 ovo
  • 165g de farinha
  • 1 medida de caldo de legumes granulado Knorr
  • 2 c. café de alho em pó
  • 1 c. café de pimenta preta
  • sal q.b.
  • água q.b.

 img_5278tbvwm

 Modo de Preparação:

Comece por ralar a couve ou cortá-la bastante fina. De seguida rale a cenoura e corte a cebola finamente.

Coloque tudo numa tigela, adicione a salsa bem picada e o ovo (previamente batido) envolva tudo muito bem.

Junte a farinha, o caldo de legumes, o alho em pó, a pimenta e sal a gosto, volte a mexer para que todos os ingredientes fiquem bem envolvidos. Depois adicione a água aos poucos até conseguir uma textura húmida mas forte. Apenas o suficiente para aglutinar todos os elementos.

nota: tenha em conta que quanto menos água levar o preparado menos óleo as pataniscas vão absorver durante a fritura e assim vão ficar mais estaladiças.

Ponha uma frigideira ao lume com o fundo coberto de azeite e vá colocando colheradas da massa, de forma cuidadosa, para formar as pataniscas.

dupla-strip-2

Deixe fritar de um lado e do outro até estarem douradas.

Coloque-as a repousar em papel de cozinha e depois de estarem todas fritas coloque-as numa travessa para servir.

 img_5277tbvwm

img_5281tbvwm

Testámos e gostámos…!

img_5277tbvwmstrip

Nutrição – A Couve

img_5249tbvwm

img_5247tbvwm

A Couve apresenta um baixo teor calórico, bem como um baixo teor de proteínas, hidratos de carbono e lípidos. Têm um excelente teor em fibra e é rica em minerais, como o potássio, cálcio e ferro e em vitaminas como a vitamina C e ácido fólico.

Segue a tabela de composição nutricional de 5 variedades de couves:

capturar

Destacam-se alguns benefícios do consumo de couves para a saúde:

  • A presença do sulforafano, potencia a ação de enzimas responsáveis pela eliminação de substâncias nocivas ao organismo, resultando na prevenção de doenças cancerígenas e cardiovasculares.
  • A presença de compostos antioxidantes – vitamina C e ácido fólico – ajudam a prevenir outras doenças relacionadas com o envelhecimento e degeneração muscular.
  • Aumento saciedade e auxilio na regulação do trânsito intestinal, devido ao elevado teor em fibra.

 

Dicas:

Supermercado/ Casa:

  • No supermercado, deve optar por escolher as couves que apresentem uma coloração viva e intensa, com uma aparência firme e com folhas brilhantes. Deve ainda verificar se apresenta manchas amarelas ou sinais de deterioração.
  • Como são vegetais muito perecíveis, em casa, pode guardar no frigorífico, ou no congelador, sempre dentro de um saco de plástico, de forma a preservar os seus teores em vitaminas.

Confecção:

  • Para confeccionar a couve, o melhor método é sem duvida: cozer a vapor, pois evita perdas acentuadas de vitaminas hidrossolúveis, como a C, complexo B e ácido fólico.

 

1798367_10204917360117282_2705349250304587316_n

Por Cátia Carvalho da Silva

Nutricionista

img_5247tbvwmstrip