Creme de Baunilha

IMG_7745tbvwm

O Creme de Baunilha foi um “milagre” na nossa cozinha, veio trazer-nos uma nova forma de encarar as frutas, principalmente os morangos.

Durante o tempo quente, gostamos muito de comer fruta como sobremesa. No tempo dos morangos não conseguimos resistir a comê-los frequentemente e se possível com chantilly.

Não somos pessoas de extremos e por isso uns morangos com chantilly podem, certamente, fazer parte do menu uma vez ou outra. No entanto, temos normas e não seria muito saudável, à luz das nossas actuais regras alimentares, repetir a façanha todos os dias.

Quando fazemos escolhas temos que aprender a viver com elas, mas podemos sempre tentar encontrar uma maneira de dar a volta à coisa…foi isso que fizemos.

O Creme de Baunilha não é chantilly, nem lá perto, mas disfarça muito bem e para nós foi a solução perfeita. Assim podemos comer todos os dias as nossas taças de morangos com um creme que nos dá aquela sensação, aquele gostinho, aquele doce prazer que de outra forma seria impossível alcançar…

 

RECEITA

 

base logo destaque1

  1. o nosso substituto do chantilly
  2. o sabor agradável a baunilha

 

IMG_7746tbvwm

 

Ingredientes: 

  •  250g de iogurte grego
  • 5 c. (chá) de açúcar em pó
  • 1 c. (chá) de aroma de baunilha

IMG_7753tbvwm

Modo de Preparação: 

Numa tigela junte o iogurte, o açúcar e o aroma de baunilha e, de forma delicada e sem bater, envolva bem até ficar um creme homogéneo.

Uma vez que a base do Creme de Baunilha é iogurte a sua consistência perde-se quando não está no frio, então mantenha-o num recipiente no frigorífico para servir na altura.

O Creme de Baunilha é óptimo para servir com morangos em substituição do chantilly, no entanto pode usá-lo para servir com qualquer fruta ou bolo…a imaginação é o limite!

IMG_7754tbvwm

 

TBVstrip

Doce de Ovos

IMG_7431tbvwm

Diz a história que a doçaria portuguesa tem na doçaria conventual uma expressão única e singular sem igual noutros países do mundo. Criada muitos séculos atrás, dentro das portas dos conventos e mosteiros, acabou pela força do destino e da história por sair para o mundo e estender-se além-fronteiras para se dar a conhecer.

E tudo começou assim…não se sabe bem como nem quando pois é de loucos pensar que as gemas eram deitadas fora ou serviam de alimento para animais até ao dia em que, um não sei o quê aconteceu por um não sei porquê e as gemas se encontraram com o açúcar.

Então é certo dizer que terem-se cruzado foi o melhor que podia ter acontecido para a história da doçaria portuguesa pois deu inicio ao que veio a ser a Doçaria Conventual reconhecida internacionalmente como uma das melhores doçarias do mundo.

Não nos interessa realmente saber quando se deu esse encontro, ele tem séculos de existência, mas suspeita-se que foi no Mosteiro de Jesus de Aveiro onde tudo começou, pois reza a história que aí se deu, em primeira mão, o encontro feliz entre as gemas e o açúcar tendo resultado dele o famoso Doce de Ovos ou Ovos-moles, como quiserem chamar-lhes.

Típico de Aveiro o Doce de Ovos é um dos doces mais apreciados dos país e está na origem de muitos outros que não teriam conhecido a luz do dia sem a sua existência, tal é o caso dos papos de anjo, das castanhas doces, dos celestes de Sta. Clara, dos ovos-moles de Aveiro, das gargantas de freira, das trouxas-de-ovos e dos fios-de-ovos que viajaram para fora das nossas fronteiras e alcançaram reconhecimento internacional.

Nós cá em casa não conseguimos resistir a uma taça de Doce de Ovos, é impossível depois de fazer Molotof não fazer doce de ovos, é impossível não aproveitar para desfrutar desse doce prazer que eles nos dão!

 

RECEITAS

 

 base logo destaque1

  1. fácil de fazer
  2. a textura aveludada e cremosa
  3. o sabor autêntico do doce de ovos feito em casa
  4. a versatilidade

 

Ingredientes: 

  • 8 gemas
  • 335g de açúcar
  • 270ml de água
  • 1 tira de casca de limão

IMG_7448tbvwm

Modo de Preparação: 

Num tacho junte o açúcar com a água e a casca de limão. Leve ao lume e espere que ferva sem nunca mexer.

Quando começar a ferver conte 5 minutos,  desligue o lume, retire a casca do limão e deixe arrefecer.

Quando a calda que esteve a fazer estiver fria, bata as gemas numa tigela e de seguida passe-as por um passador de rede deixando-as cair em fio para dentro da calda mexendo com um garfo para envolver bem.

nota: espere que as gemas caiam todas do passador até parar de correr, mas não lhes mexa para as fazer cair, elas têm que cair sem qualquer intervenção. Desta forma todos os fios das gemas vão ficar no passador.

De seguida leve novamente ao lume o tacho, vá mexendo sempre, e espere até engrossar. Tenha atenção e mantenha o lume brando para não deixar ferver a mistura pois caso contrário vai talhar os ovos. Quando começar a engrossar, continue a mexer, conte mais ou menos 2 minutos para os ovos cozinharem bem e desligue o lume.

Deixe arrefecer 2 a 3 minutos e depois com a ajuda da varinha mágica bata o preparado até este ficar homogéneo e cremoso. O seu Doce de Ovos está pronto a usar!

nota: vai verificar que quando sai do lume o aspecto do Doce de Ovos não é uniforme, por isso é sempre necessário bater com as varras de arame ou com a varinha mágica.

IMG_7433tbvwm

Pode, e deve, servir o Doce de Ovos com Molotof e depois o que sobrar coma como sobremesa ou ao lanche a acompanhar Croissants Brioche, Gaufres, Waffers uns Rollitos de Baunilha ou qualquer outra coisa de que se lembre…

IMG_7437tbvwm

IMG_7438tbvwm

baselogosegredos1

  1. Não se mexe no açúcar quando está ao lume com a água pois se o fizer ele vai criar cristais nas paredes do tacho e queimar o que vai dar mau sabor ao doce.
  2. Quando as gemas estão no passador não se mexe nas mesmas, não se devem nunca pressionar para caírem pois isso faz com que também caiam peles do ovo para o doce que lhe vão dar um cheiro a ovo desagradável. Também não se limpa com a colher o passador por baixo como fazemos noutras situações pois o resultado seria o mesmo, simplesmente se deixa correr o ovo até parar e depois descarta-se o que fica por dentro e por fora do passador.

 

Testámos e gostámos…!

IMG_7435tbvwmstrip

Molotof

IMG_7535tbvwm

Nós e o Molotof temos uma história para contar…uma história de repetições sem fim para encontrar a fórmula certa para conseguir o nosso Molotof de sonho. Seguimos muitas receitas e muitas dicas… cozer em banho-maria ou talvez não? no fim a porta do forno fica aberta ou fechada? deixa-se a arrefecer no forno ou fora dele? enfim uma verdadeira loucura que quase nos levou a dizer não fazemos Molotof e pronto!

Mas um Molotof é demasiado bom para se desistir dele e além disso nós não somos de desistir, ai não somos mesmo, por isso pusemos mãos à obra e repetimos a dose até ao momento X, estava encontrada a fórmula correcta, simples, fácil e eficaz.

Simplesmente maravilhoso o Molotof é leve, suave, macio, fofo…enfim uma textura deliciosa e irresistível que nos deixa sempre com vontade de mais um bocadinho.

O Molotof é uma das nossas sobremesas favoritas, é rápido de fazer, não é demasiado doce e basicamente só leva claras. Se conseguirmos resistir à tentação do Doce de Ovo é uma sobremesa espetacular e sem pecado.

 

RECEITAS

 

base logo destaque1

  1. A textura leve, suave, macia e fofa
  2. O sabor a caramelo

 

Ingredientes: 

  • 8 claras
  • 8 c. (sopa) de açúcar
  • 8 gotas de sumo de limão
  • caramelo líquido q.b.
  • manteiga para untar a forma q.b.

nota: pode fazer o caramelo em casa ou utilizar caramelo líquido de compra

IMG_7536tbvwm

Modo de Preparação: 

Comece por untar bem uma forma de buraco (aprox. 25 cm de diâmetro) com a manteiga.

Bata as claras em castelo até começarem a crescer e a ficarem brancas. Nessa altura, sem parar de bater, junte o limão.

De seguida, continuando sempre a bater, vá juntando o açúcar aos poucos até as claras estarem bem firmes. Isso vê-se quando ao levantar as varetas de bater se formam picos de clara na extremidade das mesmas (a isto chama-se ponto de merengue).

Para terminar, e sempre continuando a bater, junte às claras o caramelo a gosto até obter uma coloração dourada que pode ser mais clara ou mais escura dependendo da quantidade de caramelo que quiser adicionar.

Pegue na forma e, com a ajuda de uma espátula, vá colocando dentro desta as claras aos poucos e alisando-as para ficarem bem acamadas de forma a não criarem bolsas de ar no interior, no final alise cuidadosamente a superfície.

Leve ao forno, pré-aquecido a 170ºC, durante 11,5 minutos. No fim do tempo retire do forno e deixe arrefecer na forma.

nota: não caia na tentação de mexer no forno até ao final do tempo, pode parecer que está a ficar escuro ou queimado e pensar em abrir o forno para ver, não o faça espere até ao final do tempo e depois desligue o forno.

Quando o Molotof estiver totalmente frio desenforme para um prato e coloque no frigorífico até ao momento de servir. Antes de levar para a mesa regue com caramelo e acompanhe com Doce de Ovo.

nota: há quem coloque o Doce de Ovo por cima do Molotof, nós preferimos servi-lo numa molheira e deixar para cada um a responsabilidade de lidar com a sua gula!!

IMG_7549tbvwm

baselogosegredos1

  1. O limão é essencial para estabilizar as claras e lhes dar a densidade que necessitam para ficarem bem firmes.
  2. A forma deve ser de alumínio, pois aquece rapidamente e coze melhor o Molotof. Por outro lado também arrefece muito rápido evitando que o Molotof continue a cozer depois de sair do forno.
  3. O tempo de cozedura deve ser calculado em função do número de claras e contando 1,42 minutos por cada clara.

IMG_7542tbvwm

 

Testámos e gostámos…!

IMG_7547tbvwmstrip

Biscoitos de Manteiga “Caminha 4X4”

foto jipes1

IMG_7227tbvwm

O Norte do país tem uma beleza especial que nem todos conhecem e Caminha é uma cidade que adoramos!

Entre a praia e a serra é impossível ficar indiferente à beleza desta terra que nos consegue surpreender a cada canto que descobrimos.

Se pensarem visitar o Norte lembrem-se de Caminha, visitem-na e façam um Passeio Picnic Caminha 4X4 na praia, na serra, na lagoa…

E depois aproveitem os deliciosos Biscoitos de Manteiga “Caminha 4X4que eles servem e aos quais nós não conseguimos resistir! Ainda bem que nos deram a receita!!

A receita original é fantástica, mas não pudemos evitar dar a estes biscoitos o nosso toque pessoal, no sabor e na forma.

RECEITA

 

base logo destaque1

  1. Muito fáceis de fazer
  2. Desfazem-se na boca
  3. Ideais para servir com o café

 

Ingredientes:

  • 100g de margarina
  • 25g de manteiga sem sal
  • 100g de açúcar
  • 220g de farinha
  • 1 c. (chá) de fermento
  • 1/2 ovo
  • raspa de 1 limão
  • 1 c. (café) de essência de limão (opção nossa)

 

  • papel vegetal q.b.

IMG_7225tbvwm

Modo de Preparação:

Pese a margarina e a manteiga, coloque-as num recipiente e deixe descansar à temperatura ambiente até amolecerem.

Numa tigela coloque o açúcar, a farinha com o fermento (previamente peneirada), o ovo, a raspa e a essência de limão.

Adicione a manteiga e envolva tudo com uma colher até começar a esfarelar. Nesse momento está na altura de amassar com a mão até a massa ficar totalmente homogénea, maleável e se descolar completamente da tigela e da mão.

Forme uma bola com a massa, mantenha-a na tigela, tape-a com película aderente (ou com Tapa Tudo) e ponha no frigorífico durante 15 a 20 minutos. Vai facilitar o moldar com as mãos.

Forre os tabuleiros com papel vegetal, retire a massa do frio e molde bolinhas com as mãos, do tamanho de berlindes ou cerejas, depois com a ponta de um garfo pressione ligeiramente as mesmas.

nota: originalmente utiliza-se o dispara biscoitos ou saco de pasteleiro, nós optámos pelo método mais fácil, sem utensílios.

IMG_7215tbvwm

Leve ao forno, pré-aquecido a 180ºC, durante 15 minutos, ou até estarem ligeiramente dourados.

Depois de tirar do forno deixe arrefecer completamente os bolinhos e então retire-os para um prato ou guarde-os numa caixa.

Ideais para servir com o café ou para beber um chá!

IMG_7218tbvwm

 

Testámos e gostámos!

IMG_7226tbvwmstrip

Pêras Belle Hélène

IMG_6709tbvwm

As Pêras Belle Hélène, verdadeira obra de arte da gastronomia francesa são uma combinação magistral de texturas e sabores.

Esta magnífica sobremesa foi criada por Auguste Escoffier, um dos expoentes máximos da cozinha moderna francesa, em homenagem à ópera “La Belle Hélène”, que estreou em Paris em 1864.

Só de pensar nos ingredientes…ficamos fascinados e começamos a imaginar a suavidade e delicadeza da pêra e o seu interior recheado. Depois somos directamente conduzidos à ideia do molho de chocolate e quase conseguimos sentir a frescura da bola de gelado de baunilha que cria o contraste final.

As Pêras Belle Hélène são uma sobremesa diferente, mas muito especial. Vão certamente surpreender qualquer convidado revelando-se uma experiência irresistível e inesquecível.

Bon apetit!

RECEITA

base logo destaque1

  1. Uma forma única de comer pêras
  2. Combinação da texturas da pêra com o sabor do chocolate
  3. Uma sobremesa elegante

 

Ingredientes:

  • 10 peras
  • 500g de açúcar
  • 750ml de água
  • 1 c. (café) de essência de baunilha
  • 1 limão

 

IMG_6707tbvwm

Modo de Preparação:

Comece por descaroçar as pêras com a ajuda de uma colher para fazer bolas de fruta. nota: esta operação também pode ser feita com uma faca de bico fino e bem afiada, no entanto este utensílio proporciona  a forma mais fácil e eficaz de realizar a tarefa.

Depois descasque as pêras e vá-as colocando numa tigela com água e sumo de limão. Antes de as colocar na água esfregue-as nas metades do limão espremidas. Conserve as pêras na água até ao momento de irem para o tacho.

nota: o limão na água impede as pêras de escurecerem.

Coloque num tacho a água, o açúcar e a baunilha e deixe derreter o açúcar. De seguida insira as pêras no tacho e por cima destas uma folha de papel vegetal para as manter sempre totalmente submersas.

Deixe levantar fervura, depois ponha o lume muito baixo, tape e deixe cozinhar durante 20 minutos.

Desligue o lume, retire o papel e deixe arrefecer as pêras na calda.

strip

Depois de frias, recheie as pêras com o skyr.

nota: as pêras também podem ser recheadas com crème fraîche, chantilly ou queijo fresco batido.

IMG_6635tbvwm

Coloque um pouco de molho de chocolate na taça e disponha a pêra em cima. Regue-a com molho de chocolate e coloque uma bola de gelado ao lado.

Se quiser pode polvilhar com lâminas de amêndoa ou de coco.

IMG_6705tbvwm

IMG_6715tbvwm

 

Testámos e gostámos…!

IMG_6701tbvwmstrip

Torta de Coco

IMG_6786tbvwm

A Páscoa está aí à porta, com ela chegam as amêndoas, os ovos de chocolate, os coelhinhos…os almoços em família, enfim momentos que nos dão prazer e nos fazem felizes.

A Torta de Coco é a nossa proposta para a mesa de Páscoa.

Arte e equilíbrio para um resultado encantador que primeiro nos surpreende pelo aspecto e depois nos deslumbra pelo sabor.

Começamos por descobrir a cor, de um amarelo dourado forte. Depois sentimos a textura suave e macia e percebemos a humidade interior. Por fim a revelação do sabor a coco com uma profundidade e intensidade que nos deslumbra.

À primeira garfada a Torta de Coco conduz-nos pelo imaginário das tortas de Azeitão e, subitamente, à segunda faz-nos entrar no universo dos quindins…uma torta mágica que todos vão adorar!

 

RECEITA

 

base logo destaque1

  1. o exterior amarelinho e brilhante
  2. o interior húmido
  3. uma textura fantástica

 

Ingredientes:

  • 3 ovos
  • 3 gemas
  • 250gr de açúcar
  • 100gr de coco ralado
  • leite q.b.
  • 1 limão
  • 50g de manteiga
  • margarina para untar a forma q.b.
  • papel vegetal
  • açúcar para polvilhar q.b.
  • coco ralado q.b.
  • fios de ovos 125g
  • amêndoas de chocolate q.b.

IMG_6800tbvwm

Modo de Preparação:

Primeiro forre o fundo do tabuleiro (32×28 aprox.) com papel vegetal e unte o papel e os lados do tabuleiro com margarina. Deixe o papel vegetal mais comprido num dos lados para depois enrolar a torta com ele.

IMG_6779tbvwm

Comece por hidratar o coco, para isso coloque-o numa taça e cubra-o com leite e espere cerca de 30 minutos. Depois escorra-o muito bem até deixar de pingar leite mas sem o apertar.

Numa tigela coloque os ovos, as gemas, o açúcar e a raspa do limão. Bata muito bem até o volume duplicar e o preparado ficar com aspeto de um creme fofo.

Junte o coco hidratado e mexa com cuidado, sem bater apenas para incorporar totalmente. Depois adicione a manteiga derretida e mexa apenas para ligar todos os ingredientes.

Deite o preparado no tabuleiro, espalhe bem para ficar uma camada uniforme e leve ao forno, pré-aquecido a 180ºC, durante cerca de 25 minutos. Para manter a forma direita use uma rede com uma taça com peso. A meio da cozedura mova a taça para um dos lados para a torta cozer uniformemente.

nota: o tempo de cozedura depende sempre do tamanho e espessura da torta que estamos a fazer e também do forno é preciso atenção pois esta torta tem que ficar muito macia e húmida.

IMG_6820tbvwm

Depois de cozida, retire do forno e ainda quente e com a ajuda do papel vegetal enrole a torta dentro do tabuleiro. Deixe ficar enrolada no papel até arrefecer.

IMG_6784tbvwm

Apare as pontas, decore por cima e à volta com os fios de ovos, salpique com coco ralado e polvilhe com açúcar em pó. Termine a decoração com amêndoas de chocolate.

nota: para uma decoração normal, polvilhe com coco ralado e açúcar em pó. Se quiser dar um toque mais especial mantenha os fios de ovos.

IMG_6797tbvwm

baselogosegredos1

  1. As tortas devem ser cozidas em tabuleiros finos, de preferência de alumínio, para cozerem rapidamente por baixo e por cima sem secar. Estes tabuleiros por serem muito finos empenam com o calor deixando a massa da torta desnivelada. Para que isso não aconteça sobre o tabuleiro coloque uma rede com uma taça em cima cheia de feijões cerâmicos. (Os feijões cerâmicos podem ser substituídos por feijão normal)
  2. Para verificar se estão cozidas basta abanar o tabuleiro e ver se a massa está “presa”  e de seguida tocar ao  de leve com a ponta dos dedos no centro do tabuleiro se estiver cozida a marca do dedo volta para cima e não marca.
  3. É preciso ter muita atenção ao tempo de cozedura – logo que esteja cozida tem que se retirar imediatamente do forno. Se a massa cozer demasiado e secar a torta vai partir-se ao enrolar

IMG_6812

IMG_6806tbvwm

Testámos e gostámos…!

IMG_6797tbvwmstrip 

Doce de Laranja

IMG_6595tbvwm

Doce de Laranja acabado de fazer, pão torrado e manteiga…bolachas…tortas…enfim o sonho começa aqui!

Sim o Doce de Laranja caseiro é um sonho para sonhar acordado, para saborear até à última dentada.

Como somos dois não podemos dizer que é o doce favorito cá de casa, mas é sem dúvida o doce que faz uma mulher muito feliz nesta casa!!

 

RECEITA

 

base logo destaque1

  1. o sabor intenso a laranjas
  2. as tirinhas de casca, sem as quais não seria o mesmo
  3. a textura

 

Ingredientes:

  • 1kg de laranjas
  • 2lt de água
  • 1,2kg de açúcar

IMG_6597tbvwm

Modo de Preparação:

Comece por descascar as laranjas. Pode fazê-lo de 2 formas distintas, dependendo  da opção irá obter um doce diferente mediante a escolha que fizer.

  1. Descasque as laranjas retirando a casca em gomos com o branco agarrado. O doce que resulta daqui tem um aspecto rústico e uma tonalidade mais escura.
  2. Descasque as laranjas com o descascador e assim vai obter cascas muito finas sem branco nenhum agarrado às cascas. O doce vai ficar mais cristalino e transparente. (Terá um aspecto mais parecido com o do supermercado)

Depois de ter escolhido a forma de descascar as laranjas corte as cascas em tiras muito fininhas.

Dupla strip

De seguida corte ao meio todas as laranjas e esprema o sumo. Toda a polpa e restos que sobram de fazer o sumo coloque num pano e ate-o com fio de culinária.

nota: pode utilizar o pano que quiser , no entanto o ideal é usar uma fralda pois como o tecido é tipo gaze é muito fino e por isso o melhor para este tipo de situações.

Dupla strip 1

Finalmente numa panela coloque  a água, o sumo de laranja, as cascas cortadas, e o pano com a polpa toda. Escolha uma panela grande para que ao ferver o doce não vá por fora.

Dupla strip 2

Leve ao lume durante aproximadamente 2 horas. Para saber se está pronto faça um teste muito simples. Aperte uma tirinha de casca entre os dedos, se esta se desfizer a cozedura terminou.

Retire o pano da panela, abra-o, coloque a polpa num passador e aperte-a bem com uma colher de pau para espremer todo o sumo que esta tiver. Coloque esse sumo na panela. (A polpa já pode ir para o lixo)

Adicione o açúcar à panela e leve novamente ao lume durante 1 hora a 1 hora e 15 minutos. O doce tem que fazer ponto, ou seja no fim do tempo tem que ter uma consistência firme. Para verificar coloque um pouco de doce sobre um prato frio e empurre-o com a ponta do dedo, o doce deve oferecer resistência. Se vir que ainda está muito fino e líquido deixe estar ao lume mais 10 minutos e repita a operação até conseguir a firmeza pretendida.

Deixe descansar 10 minutos, mais ou menos, e depois coloque de imediato nos frascos. Tenha o cuidado de verificar que as tirinhas ficam bem distribuídas.

Depois do doce estar nos frascos aguarde uns 20 minutos e mexa cada frasco com uma colher para as tirinhas de casca ficarem homogeneamente espalhadas pelo doce.

IMG_6593tbvwm

Desfrute do Doce de laranja com umas simples bolachas, espalhe-o numa torrada ou use-o para rechear uma torta de chocolate!

IMG_6600tbvwm

Testámos e gostámos…!

IMG_6597tbvwmstrip